Vereador quer o fim do pedágio que separa a cidade do bairro Cascata e da área da Replan

Zé Coco afirma que praça de cobrança fere direito de ir e vir dos moradores

Requerimento do vereador Zé Coco (PTB) aprovado por unanimidade na sessão da Câmara Municipal de terça-feira (25) propõe que a Artesp - Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado coloque um fim na questão do pedágio localizado na SP-332, próximo à Replan e companhias de gás, transferindo a praça de cobrança para um outro local em que não interfira no livre trânsito dos moradores dentro do município.

Na propositura, o vereador assinala que a implantação do pedágio no acesso ao viaduto de retorno localizado na rodovia “provocou uma verdadeira divisão dentro do município, que até fez com que o poder público passasse a subsidiar o pagamento da tarifa para locomoção dos moradores de parte do bairro Cascata, que ficaram isolados do perímetro urbano pela praça de pedágio”.

Paliativos

Para Zé Coco, tanto o subsídio do poder público como o anúncio ainda para este primeiro semestre da implantação do sistema “Ponto a Ponto”, que prevê baratear o preço da tarifa para moradores dentro do município, são “paliativos para se tentar mascarar uma situação que pode ser considerada um desserviço à cidade e à população”.

Ele justifica que com a instalação da praça de pedágio naquele local, o paulinense perdeu o direito de se locomover dentro do território municipal e o morador daquela região do bairro Cascata encontra muita dificuldade para se dirigir à sede do município, que é onde funcionam praticamente todos os serviços e equipamentos públicos. “Na prática, os moradores do Cascata passaram a ser cidadãos com menos direitos – e mais deveres – do que os residentes em outras regiões da cidade. É uma situação de discriminação e abandono”, afirma.

O vereador ainda lembra que o pedágio “também traz um grande desconforto aos trabalhadores das empresas do entorno, que ficam praticamente impedidos de ir ao trabalho de carro para não ter que arcar com o custo da tarifa, ou então se sujeitam a deixar o veículo estacionado de forma improvisada e sem segurança em algum local do outro lado da pista da rodovia”.

Finalizando, Zé Coco ressalta que Ministério Público já vem pleiteando na Justiça o fechamento da referida praça de pedágio pelo seu caráter discriminatório, “já que tira a liberdade de ir e vir da população dentro do território municipal, o que fere um dos princípios mais elementares da Constituição Federal”.

Câmara aprova sugestão para ampliar viaduto na SP-332 como opção para desafogar trânsito no Centro

Requerimento propõe nova alça de acesso para região do João Aranha na pista sentido Replan

Construído pela administração municipal no final da década de 90, o Viaduto “Chamas do Progresso”, que serve como acesso da Avenida Sidney Cardon de Oliveira, no bairro Cascata, à pista sentido Centro - Replan (Refinaria de Paulínia) da rodovia Prof. Zeferino Vaz (SP-332), possue apenas uma mão de direção, não permitindo que os veículos possam fazer o retorno na direção do bairro e daí se dirigir à região do João Aranha.

Para acabar com esse problema e, ainda, como opção para desafogar o trânsito na região central da cidade, a Câmara Municipal aprovou requerimento do vereador Zé Coco (PTB) que solicita à Artesp ampliação do viaduto, com construção de um dispositivo de retorno, possibilitando uma nova opção de acesso da SP-332 tanto ao bairro e daí à região do João Aranha, sem que os veículos tenham que transitar pela área central da cidade, como acontece atualmente.

O vereador assinala que por abrigar distribuidoras de combustíveis, além de outras empresas no bairro Cascata, e também pelo crescimento populacional da região, aquela área registra nos últimos tempos crescente movimento no trânsito para se ter acesso aos bairros do entorno, de cidades vizinhas e até para se dirigir o Centro.

Desconforto e irritação

 “O acesso ao centro da cidade, apesar de curto, se torna prolongado nos horários de pico, gerando desconforto e irritação aos municípes, que muitas vezes precisam se adiantar em seus horários para que não percam seus compromisssos”, destaca.

Zé Coco ainda lembra que a construção do dispositivo de retorno também serviria como último retorno antes do pedágio, “que atualmente é o principal motivo para se evitar a circulação dos paulinenses pela rodovia, o que dificulta bastante o trânsito de veículos na região e faz com que o acesso tenha que ser feito necessariamente pelo Centro, ocasionando engarrafamento e lentidão no trânsito”.

Finalizando, o vereador explica que também se faz necessária a inversão de pista de mão única para dupla no viaduto, o que não deve prejudicar na saída de veículos para a rodovia, “pois esta seria mantida, porém com a devida sinalização apontando a mudança”. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Variedades

Oportunidades